20170109: Qual Seria a Capital Intelectual da Europa?

Na sequência do meu artigo anterior, fiquei pensando no seguinte: se a Europa fosse escolher uma “capital intelectual”, que cidade merecia sê-lo?

Penso em várias: Roterdã, em homenagem ao grande Erasmo; Edinburgo ou Glasgow, em homenagem a David Hume e a Adam Smith; Genebra, em homenagem a Calvino, Rousseau e Voltaire (mais a este do que aos outros dois); Paris, em homenagem a Diderot, D’Alembert, Condorcet, D’Holbach, Helvétius (deixando Voltaire, Rousseau e o próprio Hume de fora, apesar de ter vivido aí um bom tempo); Könisberg, em homenagem a Kant (Deus nos livre); Londres, em homenagem a Popper e a Hayek, dois austríacos que mudaram o mundo em Inglês; Berlin, pelos grandes teólogos que lá militaram no século 19… Qual cidade? Não podemos nos esquecer de Atenas e de Roma, embora estejam lá atrás, antes mesmo de existir o que hoje chamamos de Europa.

Eu votaria em Paris, pela contribuição incomparável de “Los Philosophes” à cultura mundial: são os pais do Iluminismo, muito mais do que Kant. Agora incluo Voltaire, Rousseau e meu grande mentor, Hume, que foi Adido Cultural da Embaixada Britânica em Paris por muitos anos.

Aceito críticas e contribuições (como sempre).

Em Bruxelas, 9 de Janeiro de 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s